O equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal

Existem milhares de milhares de pessoas vivendo vidas de um gritante e silencioso desespero, trabalhando longas e pesadas horas em empregos que odeiam a fim de que possam comprar coisas que não precisam para impressionar pessoas que não gostam.” — Nigel Marsh

Nigel Marsh é um guru do equilíbrio entre o trabalho e a vida e autor de três livros autobiográficos: Fat, Fourty and Fired (Aos Quarenta, Gordo e Demitido, inédito no Brasil); Overworked and Underlaid: A Seriously Funny Guide to Life (Muito Trabalho e Pouco Sexo: Um Guia de Vida Seriamente Engraçado, inédito no Brasil); e Fit, Fifty and Fired-Up (Em Forma, Cinquentão e Demitido, inédito no Brasil). Tal foi o sucesso que Fat, Fourty and Fired, que foi transformado em sitcom pela ABC.
Marsh era um guerreiro corporativo do ramo de publicidade e marketing na Austrália quando um dia ele se deu conta que a vida que levava não era boa nem para ele e nem para a sua família. Na expectativa de mudar de vida e encontrar o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal, Nigel resolveu parar de trabalhar por um ano para poder passar mais tempo com a sua esposa e os seus filhos. Entretanto, no final do seu ano sabático, tudo o que Nigel havia aprendido foi que sem ter que ir pro trabalho é muito fácil encontrar o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal, e que ficar sem trabalhar não era uma solução viável pois precisava ganhar o sustento de sua família. Assim, Nigel voltou a trabalhar, embora mantendo a determinação de encontrar o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal. Nos próximos cinco anos ele pesquisou o tema do equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal e escreveu o seu primeiro livro, que virou best-seller e permitiu que ele deixasse o emprego e virasse escritor e palestrante.

Em seus livros Marsh mostra que a enorme preocupação com o alcance da felicidade foi criada por uma geração mimada que precisa parar de ficar contemplando o próprio umbigo e agir, pois a felicidade não é um direito. Embora muitas empresas já tenham introduzido creches no trabalho, trajes informais às sextas-feiras, licenças paternidades e outras coisas desse tipo, somos nós mesmos que temos que segurar as rédeas do nosso equilíbrio de vida e trabalho, pois as empresas têm agendas próprias voltadas a explorar ao máximo o trabalho das pessoas. Ser responsável pela nosso próprio equilíbrio de vida e trabalho requer primeiramente aceitar que certas atividades são incompatíveis com a vida familiar; em segundo lugar é preciso parar para refletir e reavaliar o nosso conceito de sucesso e os nossos valores. Embora a felicidade seja comumente associada ao sucesso e o sucesso ao dinheiro, é muito difícil enxergar o sucesso por outros ângulos sem reflexão. É essencial que paremos para refletir sobre aquilo que perseguimos. O caminho que tomamos na nossa ‘busca da felicidade’ é quase sempre repleto de armadilhas do tipo ‘depois que eu me aposentar’ e ‘depois que os filhos terminarem a universidade’. De repente o indivíduo se dá conta que está velho, a saúde não é lá aquelas coisas, o relacionamento com o cônjuge é ruim depois de anos de negligência e os verdadeiros amigos se foram.

Eis os dois principais conselhos que Marsh dá para o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal:

(i) ‘Precisamos descobrir as coisas pequenas que contam para o nosso bem-estar físico e emocional;

(ii) quando finalmente descobrirmos quais são essas coisas, precisamos estender o período de tempo para as mesmas, e não nos prender à inviável expectativa de obter tudo num único dia’.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s